Pular para o conteúdo principal

CONTOS QUE ME CONTARAM

Livramento, apelidada logo cedo de Menta, se mudou para a cidade de mala e cuia a muito gosto da mãe e do padrasto. Dona Helena, mulher apegada com os filhos e os afazeres da casa, deu uma forcinha para a filha, convencendo ao Seu Elias, homem sério, voz grossa, trabalhou, honesto nos negócios e padrasto de Livramento. No inicio Seu Elias não concordou com a história da jovem no verdor dos quatorze ir morar na Granja, alegara ser o lugar cheio de vagabundos e com o tempo a jovem ficaria preguiçosa.

- Já sabe assinar o nome e lê, bom demais! Lá se junta com as pareceras e ... Num sei não! Retrucava Seu Elias, que não perdia aos domingos a missa e umas doses de Serrana acompanhada de uma boa cuspida ao pé do balcão.

- Mais ela vai para a casa do compadre. Trabalha de dia e estuda de noite. Do mais a menina é ajuizada, nunca deu trabalho a nós. Deixa a menina ir, homem de Deus! Assim argumentara Dona Helena.

no próximo post...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artigo sobre história do nosso Ceará

Leia o artigo do prof. Francisco Pinheiro, Secretário de Cultura do Ceará.
De Siará a Ceará
O Dia do Ceará, comemorado hoje celebra a autonomia política e econômica em relação a Pernambuco. Isto não significou um processo revolucionário de ruptura política, todavia representa um momento importante para a então capitania, pois a partir desse momento o Ceará pôde realizar comércio direto com a metrópole (Portugal) e tornou-se administrativamente independente, livre da ingerência de Pernambuco.
O Decreto régio de 13 de junho de 1621 dividiu a colônia portuguesa em dois estados: estado do Maranhão e Grão-Pará e estado do Brasil. O Ceará tornou-se subordinado ao primeiro, e em 1656 o Ceará ficou subordinado a Pernambuco. Apenas em 17 de janeiro de 1799, através de uma carta régia, a coroa portuguesa tornou a capitania do Siará (bem como a Paraíba) independente de Pernambuco, podendo comercializar com a metrópole. Apesar dessa determinação não romper com as regras do pacto colonial – onde exis…

A conquista de um sonho

Não poderia ter chegado sem a parceria do amigo Pedro Magalhães.

DICA: Jovens Falcões, livro de Eduardo Lyra

Recebi, hoje, na hora do almoço o livro Jovens Falcões, de Eduardo Lyra. É um nutritivo prato para as realizações dos sonhos, com histórias inspiradoras do empreendedorismo dos jovens brasileiros.

Está servid@!