Pular para o conteúdo principal

Fogueiras aquecem dia dos namorados em Granja

por Lira Dutra

O Dia dos Namorados na cidade de Granja foi aquecido pelas chamas das fogueiras ao longo das ruas, em especial as localizadas fora do centro. Tinha programado levar minha esposa à pizzaria, mas na hora minha irmã ligou convidando para uma fogueira. Aceitamos o convite.E fiquei encantado ao ver tanta fogueira nas ruas, casais e crianças brincando, correndo ao ritmo do fogo!

Na rua ao lado do antigo prédio da Estação de Trem e até o famoso bar do Bruja, na beira da Lagoa Grande, havia inúmeras fogueiras, em média, uma para cada duas casas. A meninada fez a festa, soltando bombinhas e brincando com fogo. Perigo? Não, as fogueiras eram pequenas e sempre com adulto gritando: Mininum, tu num rai te queimar! Por fala em brincadeiras, não pude deixar de me ver num garoto que pedia esponja de aço (bombril) para queimar. Lembrei quando lá no campo queimávamos esponja de aço nas nossas fogueiras juninas. Não tinha foguete. Só não vi ninguém passando fogo e fazendo simpatias. Mas nesse mundão que é Granja ainda se passa fogo, para se tornar cumade, cumpade, madriam. Geralmente as mulheres passam fogo, os homens estão mais preocupados em passar outra coisa...

As fogueiras são ótimas oportunidades de quem está desamparado pelo cupido encontrar por entre o braseiro alguém acender o fogo do coração. E quem não comprou o presente da amada, devido à crise econômica, a fogueira pode aquecer o termômetro do relacionamento. Amor de fogueira nunca se apaga, sempre fica uma brasa por entre as cinza.

Por falar em fogueira não posso esquecer das tradicionais fogueiras do Chico Otilia, onde a vizinhança das ruas Vereador Inácio Barcelos e prof. Garcez esquentam a amizade. Geralmente o que mais se come nas fogueiras é baião, coração de boi e linguiça assados nas brasas, cachaça, cerveja ou vinho são as bebidas mais presentes. Talvez por ser barato e fácil de encontrar. Os presentes numas fogueiras são sempre amigos, familiares e amigos de amigos e amigos de familiares, ou seja, uma boa fogueira todo mundo conhece todo. Se não conhece passará a conhecer. Os assuntos são diversos, com predominância do riso, da sátira e da parodia das mazelas da vida. O bom humor é o que dar ritmo a uma boa fogueira, sem ele uma fogueira é só uma fogueira.

Para um apaixonado por Granja, as fogueiras são um presente. Pois percebi que a chama da tradição do povo granjense ainda vive. Só precisa de uma aquecida!

Gostou? Pode VOTAR aqui. É rápido e grátis!

Comentários

  1. PARABENS PELA ABORDAGEM DO TEMA.VOCÊ NOS LEMBROU QUE É NAS COISAS MAIS SIMPLES QUE SE ENCONTRAM OS GRANDES PRAZERES.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado
    Não podemos esquecer, deixar a chama da simplicidade apagar ao meio dos bytes

    ResponderExcluir
  3. U M BOM E RESPEITADO ECONOMISTA DISSE : Na simplicidade , a felicidade.

    ResponderExcluir
  4. SOU um homem,um ser que tem muito de pássaro. POR isso encontro ninho no lugar mais aconchegante da anatomia daquela morena princesa cearense.Pensei ter ali vegetação fresca,uma moita de capim.

    ResponderExcluir
  5. MULHER QUE MORRE POR TER BOTADO CHIFRE NO MARIDO VAI DIRETO PARA O INFERNO

    ResponderExcluir
  6. PEDIDO DE CANONIZAÇÃO AO PAPA BENEDITO XVI : solicitamos que fernando henrique cardoso ,companheiro inseparável de gilmar mendes, sempre preocupado com banqueiros falidos , como os do marka,fonte cidan e o oportunity, protetor inegável de daniel dantas , seja pela nossa venerada igreja considerado santo protetor dos banqueiros.

    ResponderExcluir
  7. Amigos revendo o post lembrei mui de coisa boa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Solte o verbo, deixe seu comentário.
Obrigado!

Postagens mais visitadas deste blog

Artigo sobre história do nosso Ceará

Leia o artigo do prof. Francisco Pinheiro, Secretário de Cultura do Ceará.
De Siará a Ceará
O Dia do Ceará, comemorado hoje celebra a autonomia política e econômica em relação a Pernambuco. Isto não significou um processo revolucionário de ruptura política, todavia representa um momento importante para a então capitania, pois a partir desse momento o Ceará pôde realizar comércio direto com a metrópole (Portugal) e tornou-se administrativamente independente, livre da ingerência de Pernambuco.
O Decreto régio de 13 de junho de 1621 dividiu a colônia portuguesa em dois estados: estado do Maranhão e Grão-Pará e estado do Brasil. O Ceará tornou-se subordinado ao primeiro, e em 1656 o Ceará ficou subordinado a Pernambuco. Apenas em 17 de janeiro de 1799, através de uma carta régia, a coroa portuguesa tornou a capitania do Siará (bem como a Paraíba) independente de Pernambuco, podendo comercializar com a metrópole. Apesar dessa determinação não romper com as regras do pacto colonial – onde exis…

A conquista de um sonho

Não poderia ter chegado sem a parceria do amigo Pedro Magalhães.

DICA: Jovens Falcões, livro de Eduardo Lyra

Recebi, hoje, na hora do almoço o livro Jovens Falcões, de Eduardo Lyra. É um nutritivo prato para as realizações dos sonhos, com histórias inspiradoras do empreendedorismo dos jovens brasileiros.

Está servid@!